Depressão, Permita-se Sentir

woman 2609115 1280 - Depressão, Permita-se Sentir

Hoje uma amiga de infância me perguntou quando que eu percebi estar com depressão e essa pergunta me pegou de surpresa. Apesar de eu saber que convivo com a doença, eu nunca havia parado para pensar “quando isso começou”, até agora.

Não sei o dia certo, muito menos a hora exata, mas sinceramente, acho improvável qualquer um que conviva com ela saber. Afinal, é algo que chega sorrateiro, te pega desprevenida e te desmorona. Quem não convive não entende, muitas vezes acha até que é frescura, como já ouvi muitos falarem por ai, até sentirem, pois somos humanos e o simples fato de sentirmos, nos torna suscetíveis a ela. Pesado né?

Quando minha amiga me questionou a respeito de quando acho ter percebido sua presença, pensei logo em meus piores dias deitada em um quarto escuro, sozinha, desistindo de viver. Esse momento não necessariamente esteve relacionado a um momento no qual eu encontrava-me financeiramente mal ou mesmo, após o término de um namoro, por exemplo. Não. Curiosamente eu estava em meu melhor momento de vida até então vivido. Eu tinha 19 anos, possuía um emprego ótimo, com remuneração ainda melhor, estava na faculdade, tinha meu carro, morava sozinha, tinha amigos e um “rolinho” que me botavam sempre para cima, mas eu não estava feliz.

Por quê? É difícil explicar o fato de que nada daquilo me fazia realmente bem. Eu estava vivendo o estereótipo perfeito de uma mulher que tem sua independência em todos os sentidos. Mas o fato é que:

  1. Apesar de meu emprego me pagar muito bem, o ambiente que eu trabalhava era tóxico e isso fez com que eu passasse a odiar o que eu fazia;
  2. Minha faculdade estava relacionada ao que eu fazia em minha empresa e eu ia todos os dias para a aula pensando como eu detestava fazer aquilo;
  3. Eu morava sozinha. Ou seja, nunca tinha ninguém me esperando e eu não sentia prazer em voltar para casa e ter que encarar meus fantasmas;
  4. Meus amigos que me botavam para cima estavam dentro da empresa que eu trabalhava. Por um lado sorriam para mim, mas por outro, tentavam de todas as maneiras puxar meu tapete;
  5. Meu rolinho não era uma relação estável e sempre que eu o procurava para conversar sobre como estava me sentindo, não era acolhida.
  6. Resumidamente, após muito me esforçar para continuar em um lugar, ou melhor, em lugares que não eram meus. Eu adoeci, física e emocionalmente.

De lá para cá muito tempo se passou e apesar de eu ter mudado tudo o que me causava mal, até mesmo meu curso de graduação, é difícil dizer que eu tenha vencido a depressão, mas tá tudo bem.

Convivo com ela todos os dias, uns dias estou melhor e outros, nem tanto. Mas o importante de tudo é que apesar de muitas quedas, eu achei quem estivesse aqui por mim de verdade para me apoiar, pois é uma fase de nossas vidas que não podemos passar sozinhas, independente de quanto tempo ela dure.

Já faz anos que ela está aqui e aceitá-la só me fez ter forças para lutar contra com terapia e remédios (sim!) ao invés de arrumar desculpas. Pode ser que você esteja apenas em um momento depressivo da vida e não seja necessariamente uma pessoa depressiva, mas meu maior conselho é: se algo em sua vida está te fazendo mal, mude. Se precisar, MUDE TUDO! Como eu fiz. Pode parecer muito radical, mas mudanças nesse momento nos trazem uma nova perspectiva que muitas vezes já não conseguimos enxergar. Mas principalmente, tenha sempre alguém com você no qual você possa contar, seja seus pais, umx amigx, ou umx namoradx.

Mas não tenha pressa, permita-se sentir, chore se precisar, grite, durma, faça coisas loucas pela sua felicidade mas não deixe de viver, isso é uma benção! Se precisar de algo mais para se permitir sentir, leia esse artigo no qual falei sobre amor próprio ou ainda, converse comigo, será maravilhoso te conhecer!

Um beijo no coração.

One thought on “Depressão, Permita-se Sentir”

  1. Muito bom boneca.e isto ai muita veses para vencer temos que mudar.algumas coisas que nos está causando prejuiso emocional quando ganhei meus 2 filhos tive depressao pos parto.durante um tempo eu vivi esta situacao achei que nao conseguiria criar meus bebes mais so tenho que agradecer a Deus por eu ter conseguido.e me ajudar a passar esta faze dificil.sem contar pra niguem hoje aproveitando o momento para dizer que e dificil mais nao e impossivel.quando puder fale mais sobre o assunto.estara ajudando muita gente.bj

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *