Amor Próprio vs. Morte Na Praia

sereia - Amor Próprio vs. Morte Na Praia

Amor próprio? Nossa Anny! Que imagem forte para se falar sobre isso! É isso mesmo meninas! Hoje quero conversar um pouquinho com vocês a respeito de “morrer na praia” pela influência dos outros e essa imagem diz muito sobre o que eu tenho para falar.

Vou ser sincera que eu nunca me olhei no espelho com amor, caramba! Que dor E vergonha eram para mim ao passar em uma vitrine espelhada ou quaisquer lugares similares mundo afora e achar que todo mundo estava (por uma fração de segundos) me olhando e rindo de mim; que eu estava ocupando lugar demais no banco do ônibus; que eu devia mesmo era parar de comer ao invés de pedir um tamanho maior para a vendedora na hora de provar uma calça na loja e… meu Deus, como eu parei de comer e fiz besteiras para que esse número diminuísse, mas nada aconteceu…!

Eu tenho exatamente a mesma altura desde os meus 14 anos 1,62m e meu peso varia sempre 5kg para mais ou menos em épocas festivas, mas essa sempre fui eu e acreditem, ainda estou me aceitando, mas já me amo muito mais!

E o que isso tem a ver com morrer na praia Anny? Calma que to chegando lá! rsrs

Cresci cercada de pessoas gordas que não amavam o próprio corpo e viam em mim a esperança de “uma nova geração para a família”, como eu sofri com essas expectativas acumuladas em mim pela minha família! Era um querendo que eu fosse magra, outro querendo que eu tivesse meu cabelo liso, outro dizendo que eu era feia por ser parecida com minha mãe que era tudo o que eles menosprezavam e meus amigos: magros.

Minha infância não foi das mais fáceis e tenho certeza que cada um passou por aquilo que a vida preparou para que enfrentássemos a fim de nos tornar mais fortes. Com 18 anos saí de casa para fugir dos problemas de meus pais que não tinham espaço para mim em suas vidas e hoje, com 22 anos, conquistei muita coisa, com muito suor e dor, ah! quanta dor envolvida nesse caminho! Mas encontrei alguém que me ama como sou, porque a partir do momento que resolvi me libertar de tudo o que me levava “para baixo”, tudo ao meu redor floresceu e eu era amor puro, amor próprio e encontrei alguém para dividir tanto amor que encontrei nessa caminhada.

E por que digo que devemos persistir em tudo aquilo que nos faz bem e o que não nos faz, devemos simplesmente nos afastar? Eu sou uma pessoa muito simples e me desapego com a mesma facilidade com que me apego, mas talvez para você seja um pouco mais complicado, mas isso realmente funciona, se existem pessoas tóxicas em sua vida, sejam elas amigos, parentes ou whatever que estão te levando à famosa “morte à beira da praia” para com seus sonhos, querida! CORRE!!! Você persevera no que te atrai o bem e o que te traz só desgraça, inveja e olho gordo, você se livra!! Porquê é aquele ditado né meninas: #XÔEMBUSTE !!

 

Um beijo e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *